segunda-feira, janeiro 16, 2006

Bailarina

Para a professora Lina Nicolau com amor.


Dança dança bailarina
Sobre estrada de alcatrão.
Dança sempre bailarina
Os pés, já não tocam o chão.
Em pontas ou sobre as mãos,
Dança incessante, bailarina (!)
No parapeito de uma janela
Ou sobre os segredos do condão.
Canta ao ouvido de quem passa
Os teus passos, bailarina!
E rodopia na beleza dos movimentos
Que não te enclausuram ao chão.

Dança na certeza, querida bailarina,
De que não danças sozinha; e és bem-vinda sempre.

1 comentário:

Carla disse...

agradeço-te com toda a ternura.Contribuiste seriamente para que eu tivesse um dia inundado de amor.