sábado, abril 22, 2006

Infância

Quando escurece entram no meu quarto trapezistas.
Escritores.
Violoncelistas.
Meninos de bibe.
Poetas.
Cientistas.
Mágicos.
Pintores.
Pianistas.

Trazem grandes odes escritas à mão.
Palavras usadas cobertas de oiro.
Cadências aladas e varinhas de condão.

Falam de alquimias, de cores misturadas com carvão.
Sussurram. Cantam. Bebem vinho. Esculpem as janelas de anil.
Cobrem de veludo o tecto escancarado e escavam nas paredes passagens secretas para a imaginação.

5 comentários:

Bill disse...

E nessa noite de fantasia, onde a imaginação se anima em pingos mágicos de sonhos completos e de anseios de todo dia, criando o mundo onde sempre queremos viver.

Achei lindo, fiquei a imaginar cada um entrando e se arrumando para a noite, que é uma criança =]

:*********

Clarissa disse...

Que quarto lindo...quero ficar aí e deixar o sonho embalar-me.
Beijo grande amiga

PiresF disse...

A fértil imaginação.
...e há quem não sonhe. Haverá?...

PS: Desculpa amiga, sei que tenho andado ausente. Peço desculpa. Está tudo bem.

Um grande abraço.

Nina disse...

E eu gostaria que invadissem meu quarto também. Uma trupe de imaginação e sorrisos...

=]

conteúdo latente disse...

UM beijo a todos. :)