segunda-feira, abril 17, 2006

Quase




Quase nada

O amor
é uma ave a tremer
nas mãos de uma criança.
Serve-se de palavras
por ignorar
que as manhãs mais limpas
não têm voz.

Eugénio de Andrade, Poemas
(d e s c u l p a)

Sem comentários: