sexta-feira, agosto 18, 2006

ensaio para violino e flauta de bisel tenor.

Como alguém que conta os meses para ser livre, eu conto os dias e todos os segundos. Ensinaram-me que o tempo não pára. Mas o tempo, meu amor, é só já uma pulsação que se arrasta lentamente pelo soalho. Falta Vivaldi nos corredores, a noite de chuva no mercado medieval, alguém a gritar “Som!” e faltam os dedos trémulos no 2º andamento do Inverno. Falta Vergílio Ferreira numa prateleira próxima para lê-lo contigo, fazem falta os momentos no parque, e todas as palavras bonitas que ainda não foram inventadas para tas cantar ao ouvido quando acordas. Fazes-me falta,

ainda que saiba que quando for para o quarto frio, me deito no teu abraço e me dás a mão. E tudo é menos difícil, se a saudade for um choro afinado.

6 comentários:

Lord of Erewhon disse...

O Inverno de Vivaldi falta sempre!
Dark kiss.

Gonçalo disse...

Está lindo! E sim. Um choro afinado faria muito jeito ;')
Entonce

Z disse...

Faltam todas essas coisas, sim, mas aquilo que se passa durante uma semana na penúltima semana de Julho dentro das paredes infantis de uma escola é apenas o reflexo daquilo que se passa dentro das paredes das nossas cabecinhas infantis! Nem sei bem se essa semana é real ou foi um delírio colectivo (tenta lá explicá-la a alguém que não tenha lá estado!!), mas seja lá o que for não deve servir para nos deixar melancólicos, mas antes dar um empurrão - e que empurrão... um daqueles FORTES!! - que nos faça deslizar até à penúltima semana de Julho do próximo ano!!

E quanto a isto tenho dito (o resto das coisas que te fazem falta são só tuas!). Como é este o último post que tens é mesmo neste espaço que te faço uma vénia! Uma vénia perante todo o blog. Há aqui conteúdos muito muito interessantes, latentes, explícitos, manifestos, metafóricos, profundos, sensíveis, artísticos, inteligentes! E pensar que tudo isto se escondia por detrás de uma menina algo tímida que só tocava flauta há 2 semanas! Mais umas duas semanitas e vamos começar a ouvir falar de ti, hehehe!
Beijinho e felicidades, vai passando pelo barroquista, é menos interessante que o teu blog mas cada um dá o que pode e tem (pode ser que os teus conteúdos manifestos/latentes me inspirem um pouco mais!)
Até breve

Seila disse...

Olhe que é assim que me dirijo a quem nunca o fiz e a quem, mais, quero dizer de segredo alguma coisa que não sei dizer. Olhe, e aqui me fico sem saber como dizer. É que o escrever e a ausência de um rosto,uns olhos (que eu acho que o seu o deve ser quase só olhos) não impede este constrangimento. Não se diz gostei muito, estou comovida, voltarei. Não quero dizer (só) isso e, no entanto, olhe que não sei dizer mais nada.

Clarissa disse...

Minha doce Carolina... cada vez melhor...

conteúdo latente disse...

Obrigada, é o que me ocorre e o que sinto que posso dizer.
Obrigada.