sexta-feira, dezembro 08, 2006

Tradução (repetição)

Que um fim de tarde pudesse ser só
Uma paragem de comboio com vista para o mar
E uma mulher lá sentada,
Sem horas, bilhetes, ou vontade de chegar.
(Um fim de tarde)
Em que por entre os vidros transparentes da paragem
Ecoasse o som dos sapatos dela
E os cabelos adormecidos sobre a madeira de um banco azul
Na esperança de um comboio que apita ao longe
(mas que se recusa a chegar).

Veste um casaco comprido que toca o chão
E os mesmos buracos do forro dos bolsos na imaginação.
Um colar comprido, o cabelo que esconde o olhar,
E as mãos atrapalhadas que restam sobre o colo
Sentindo as pulsações latentes, do comboio, no ar.

As multidões passam sobre os sapatos gastos
Dançando em compassos que ninguém já vê.
Há malas onde se guarda a vida sem identificação
E a mulher firme espera pelo comboio de olhos no chão.
Ás vezes os cabelos adormecem, às vezes os sapatos dançam,
Perdidos entre a multidão.
A mulher espera a sua mala e revista imaginariamente
Cada vagão do comboio por chegar.
(Só um fim de tarde)
Ao fundo, o mar.

3 comentários:

PiresF disse...

Gostei!

Especialmente desta frase: “Há malas onde se guarda a vida sem identificação”

Abraço.

PiresF disse...

Lembrete.

É já no próximo domingo dia 10, pelas 21 horas de Portugal e 17 horas do Brasil, que se realiza a 5ª edição do Canto de Contos.
O desafio desta edição 5ª edição, tem por mote o tema de Natal como sabem e todos os contos devem ser publicados à hora marcada.

Os membros desafiados são:

Bill - Realidade Torta
Clarissa - Instantes Clarissa
Conteúdo Latente - Conteúdo Manifesto
Ipslon - Tetros
Isa - Piano
Maite - A quilómetros de mim
Parrot - Incomplete
Pedro Pinto - Sexta Feira-Thales
PiresF - A Rua dos Contos
Raquel - (…)
Rui Semblano - A Sombra
Vanessa - Voz Calada

Convidados a participarem pela primeira vez e que, a partir desta sua participação, integrarão de pleno direito o Canto de Contos, recebendo o logotipo da autoria do Rui Semblano e a permissão de o exibirem, se assim o entenderem, nos seus blogs:

Beatriz – Se perguntarem por mim, digam que voei
Kaotica - O Pafuncio
Klatuu - Crónicas da Peste
Legivel - Papel de Fantasia
Luís teixeira - Chama Lunar
Rafaela - Fragmentos de um Espelho
Ruy Soares - Blogdoruy
TB - Linhas de Pensamento
Teresa Durães - Voando por aí

Se todos participarem, teremos a publicação 21 Contos de Natal inéditos, em simultâneo na blogosfera.
Um abraço a todos e os melhores votos de uma excelente participação.

Liilavati disse...

Escreves muitooo!Fico sem palavras...