terça-feira, abril 24, 2007

Beatriz

Onde andas Beatriz
Que de doce só te resta o nome.
Beatriz.
Onde andas nessas olheiras
E cabelo já tão fino
Que se quebra com a possibilidade
De um toque
Onde andas se desaprendeste a fala
E já não consegues articular
Se não uma só palavra secreta que ninguém ouve
Depois de ti.
Beatriz.
Por onde andas nas pestanas
Que te caiem uma a uma.
Beatriz.
Onde foste parar que não há quem se lembre
Do som da tua voz
Onde andas se toda a gente já te viu chorar
E tu só choras por nunca teres chorado por ninguém.
Para onde corres com essa palavra repetida e nua em ti.
Fugirás dela, um dia?
Beatriz.

6 comentários:

Z disse...

A tua Beatriz está a precisar de alguém que olhe por ela! Deixa-a chorar à vontade, mas arranja-lhe maneira de que os cabelos e as pestanas fortaleçam e não caiam mais!

(... continuado do barroquista)
Estou em velocidade de cruzeiro porque tenho a avaliação de quatro anos de "trabalho" daqui a duas semanas e meia, sem aulas também, mas sem problemas, porque há uma altura em que o teu melhor professor começas a ser tu próprio/a! Percebo que te falte um estímulo, mas acredita nisto que te digo - e nunca o esqueças! Se é difícil procura dentro de ti uma forma de resolver os problemas (da flauta ou de outro instrumento ou, já agora, de outra adversidade qualquer!)... mas de qualquer forma se quiseres daqui a três meses dou-te uns "safanões" nas Caldas :D daqueles positivos entenda-se!
Ah, e fazes bem em manter os teus arcos e cordas por perto! Não os deixes... se conseguires conciliar tudo, melhor! Mas se não... bem, não deixes as cordas sem vibrar!

Beijinhos, boa sorte pra tudo e continua a escrever!

conteúdo latente disse...

Quero quero!! ;D

Beijinhos, obrigada, e para ti também. Muita sorte, para essa avaliação e para tudo.

Lord of Erewhon disse...

Um belo eco dos labirintos do universo feminino... ;)

Dark kiss.

Beatriz disse...

Obviamente. Fujo sempre como quem sabe que de sentimentos e de vozes sem resposta todos vivemos. Mas o mundo não para por isso. Alguns constroem padroes de beleza com a sensibilidade de que são feitos na escrita e na arte. Porém, de entre esses e noutros, existem quem precise que o lado lunar seja sempre oscultado por todos e que todos parem para escutar o quão triste se está. Eu nao preciso disso. Para isso servem as palavras e os dias maus. Existe muito mais para fazer com o mundo e comigo do que chorar-me.
A sensibilidade é uma constante em todos os homens e mulheres. Mas é constante também em todos os homens e mulheres darmos-lhe um seguimento diferente. Eu escrevo para não ter de molhar os ombros de ninguem com lagrimas.

É um prazer ver ai o meu nome. Por isso me apropriei da personalidade da tua Beatriz e responti-te em seu nome :)

Mariana disse...

Gosto mais da Carolina e do seu sorriso, do seu abraço e da sua magia.

És importante.
Um Amo-te gigantesco!

Klatuu o embuçado disse...

Não fujas... ;)

Dark kiss.