segunda-feira, julho 23, 2007

Senta-te comigo,
Vamos fingir que os ocidentais
Não têm mais sentimentos.

Senta-te comigo
Porque há tantas mulheres a passar.
Fiquemo-nos pelas saias
Dessas mulheres
E pelas ruas que pisam.

Senta-te comigo
Porque hoje não há lojas
Para onde voltar.
Há o céu e o campo
Numa tela infinita.
Vamos não pensar,
Porque me puxas para essa noite,
Ocidental de abandono?

Por favor.
Sejamos essas mulheres,
Sejamos todas as mulheres.

Senta-te comigo
Quero a tua sombra em mim
E as sombras que te põe
Em todas as horas
De aparências.

Há gás no ar
Do nosso quarto.
Sentemo-nos.
Toma a cama onde me
Deito
Enquanto dormimos
Um no outro,
Devagar.

3 comentários:

PiresF disse...

Lindo com um final preocupante.

Abraço.

b. disse...

muito bonito.

Nox disse...

Há camas onde não nos devemos deitar, por mais que a vontade grite.
Bonito =)**