quinta-feira, setembro 13, 2007

De alguém.

O conforto estranho
De não ter mais poesia.
A contradição
De estar só eternamente
E poder dizer amor
Sem mentir
Novamente.

O paraíso de
Não querer mudar o mundo.
De não querer voltar
A querer mudar o mundo.

Viver todos os dias
Sem poesia difícil
E tudo ser tão fácil
Como a água e o pão.
Tudo ser o lado de cá
Da palavra proibida.
Nesta solidão
Secreta
Que é não ser ninguém,
Não ter poesia,
E não querer voltar a ser
O herói sonhado de alguém.

1 comentário:

Tonks disse...

muito, muito bom! =)