domingo, outubro 21, 2007

ainda que essa ausência dure sempre.

As meninas complicadas
Lêem Nietzsche antes do jantar
E têm vestidos pretos de muitas cores.

São tristes e sozinhas
Porque a razão com que dormem
As atira para o chão.

As meninas complicadas
Deram a sua cama à ideia intelectual
De amor.

Se o amor fosse intelectual e fosse uma ideia
Haveriam mais meninas complicadas
Felizes e com camas.

As meninas complicadas
São heroínas dentro das suas paredes
E são o pó delas quando a porta da rua se abre.

São ridículas porque nunca foram à guerra
E sentem-se morrer.
Nunca passaram fome
E desmaiam na ausência de uma só noite,

1 comentário:

Ophélia Queiroz disse...

Deixa.
As Meninas de Plástico só podem ter felicidade de plástico que guardam em caixas antes mesmo de chegar à cama.