sexta-feira, novembro 23, 2007

A minha vida
É um dia de Verão
Em que toda a gente saiu à rua
Porque o céu estava azul.

A minha vida é um dia

De pessoas que acreditaram
Que a seguir a esse dia,
Viriam muitos mais.
Mas sem ninguém saber porquê
Começou a chover
E o céu foi nunca mais azul.
As pessoas sentaram-se no chão,
E esperaram molhadas que a chuva
Fosse. Mas a chuva não foi.
Hoje, sou um mar de gente
Sentada, a apreciar o seu silêncio
E a sua solidão.
Um mar de gente que um
Dia viu o Verão,
E guarda, como quem guarda a vida,
A memória desse azul do céu
Que existiu, mas passou
E magoa como uma ferida aberta
sobre os dedos roxos de frio.

1 comentário:

Débora disse...

Encontrei uma música com o teu nome... com uma letra estúpida.
Queria mostrar-te. Quando a ouvi percebi que não te merecia.
*