domingo, dezembro 09, 2007

Há vidas que nos matam
Demasiado depressa…
E é preciso ter cuidado
Com esses penhascos
Infinitos
Dentro de nós.
Há vidas que nos matam
Demasiado depressa,
E é preciso ter cuidado,
Porque podemos escolher morrer
Muitas vezes,
Mas só podemos morrer uma.
O mundo não pára.
Há barcos que passam,
E é fácil ir neles.
Há barcos que passam
Para muito longe,
É só não pensar,
E por neles os pés.
Esperar depois que de alguma
Forma o que precisar de vir, venha também
Para esse longínquo indefinido.
É preciso saber que essas quedas
Matam, e morrem,
E que pode não ser preciso matar ou morrer
Hoje.

8 comentários:

raquel disse...

gostei, muito, deste. quero passar cá com mais tempo para ler mais coisas.*

(gosto das fotografias que estão no lado direito, também.)

Anónimo disse...

"If I kiss you where it's sore,
Will you feel better?
Will you feel anything at all?"

Débora Silva disse...

Anónimo?! eu meti o meu nome...

Pedro Pinto disse...

Doce Carolina.

*

Klatuu o embuçado disse...

FELIZ NATAL, amiga. Tudo de bom para ti e para os teus.

Dark kiss.

Horta disse...

Carolina amo VOCÊ! xd

kiko* beijão!

PiresF disse...

História Antiga

Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.

E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da nação.

Mas, por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.

Miguel Torga


Um Excelente Natal para ti e toda a família.

b. disse...

também eu continuei a passar por cá, embora silenciosamente... :)

beijinhos