quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Longe,
Muito longe,
Há lugares que sabem
A casa.

Longe,
Muito longe,
Onde as casas
Não existem.

Há um lugar
Onde as árvores não dão frutos.
Longe,
Tão Longe,
Sonhar.

Ficamos nos lugares
Das ausências que criamos,
Porque é fácil
Fechar os olhos
E nada ser real.

Longe,
Muito Longe,
Dormimos lentamente.
É fácil
Ficar no berço do que já
Partiu.
É fácil
Desexistir.
E não querer nada,
Para o que foi,
Ser real na sua ilusão.

Sem comentários: