quinta-feira, fevereiro 28, 2008

Não sei o Sol nas pernas brancas e secas,
Porque saber o Sol
Teria sido deitar-me e partir
Para muito longe.
Nunca fui para além de um eu
Qualquer dentro de mim,
Por isso quero ir.
Cansei-me de ver o Sol brilhar
Sempre do outro lado da janela,
Cansei-me de não ter sido mãe
De todas as bonecas
Por ter medo de não conseguir.
Quero dormir.
Ao longe tocam os sinos das igrejas
A que nunca vou ser capaz de chegar,
Porque apenas desejei
O impossível.
Não sei o sol, e quando olhei para um campo
De papoilas, vi um campo de batalha em sangue.
Hoje sou só uma pessoa triste,
Como todas as pessoas tristes são.
Os meus olhos baços recusam a luz
Porque se habituaram a dormir no conforto da escuridão.

Sem comentários: