quinta-feira, março 31, 2011

As horas

As horas tardam entre as estrelas e os minutos infinitos que se erguem em mim como fantasmas. Os segundos arrastam-se, as tristezas dos telejornais são sempre anunciadas numa outra televisão. Nunca mais é hora.

Sem comentários: